maio 23, 2012

FERNANDO LUIZ: UMA VIDA DE ALTOS E BAIXOS

Cantor e compositor Fernando Luiz lança sua biografia
Uma verdadeira vida de artista em cima ou não de um palco 
 fotografia: Canindé Soares

 VIDA DE ARTISTA
FERNANDO LUIZ LANÇA SUA BIOGRAFIA

Por
Jornal de Hoje

“Eu sou um artista popular e no auge do meu sucesso tive muitas críticas. Acho que chegou a hora de contar o meu lado deste e de outros momentos da minha vida. Neste livro decidi contar tudo. Momentos alegres, tristes, meus erros e acertos. Uma vida marcada de altos e baixos”, declara o cantor Fernando Luiz em entrevista para O JORNAL DE HOJE.

“Vida de Artista” é como o cantor e compositor Fernando Luiz decidiu chamar a sua autobiografia que será lançada nesta quinta-feira, dia 24, às 19h30, na Livraria Nobel que fica na Avenida Salgado Filho, 1792, Lagoa Nova.

“A ideia de registrar a minha história em livro foi durante uma conversa com o jornalista Cassiano Arruda quando me instigou a colocar no papel toda a minha trajetória porque segundo ele eu tenho uma verdadeira vida de artista em cima ou não de um palco”, conta.

  SHOW DE TALENTO
Fernando Luiz divide seu tempo entre seus shows
e a coordenação de vários projetos artísticos e culturais
 fotografia: Canindé Soares

Fernando Luiz Tavares nasceu em Natal, no dia 21 de janeiro de 1952. Filho de Maria de Lourdes Tavares, parteira, que teve que contar com a ajuda de familiares para criar o filho único, pois ela e o marido se separaram 19 dias após o nascimento do filho, que não chegou a conhecer seu pai.

O cantor faz questão de falar durante a entrevista que, “este livro é muito verdadeiro para se ter uma idéia tem coisa que nunca contei a ninguém. Neste livro eu conto todas as minhas lutas. Como a alegria de ter vencido o concurso do programa do Chacrinha como o melhor cantor do Brasil, a angustia de passar 15 anos para gravar o primeiro disco, a saga de fazer shows em circo para sobreviver e muitas outras passagens da minha história”.

A primeira vez que ele se apresentou em público como cantor profissional foi como crooner do conjunto Apaches, em Natal, em 1969. Na capital, para onde havia se mudado com o objetivo de continuar seus estudos, Fernando estreou como disc-jóquei na rádio Nordeste AM no ano de 1972, onde permaneceu até o final de 1973, quando resolveu tentar a sorte no Rio de Janeiro.

A angustia de passar 15 anos para gravar o primeiro disco  
Fernando gravou 15 discos: 02 Compactos simples, 07 LP’s e 06 cd’s

Já na capital carioca,em fevereiro de 1974 conquistou o primeiro lugar na Buzina do Chacrinha, na extinta TV Tupi, ganhando o título de “Calouro Exportação” do programa do Velho Guerreiro. Fernando, depois de sobreviver durante mais de um ano como cantor na noite carioca, decidiu (já casado e pai do seu primeiro filho, Stefenson), abandonar a carreira artística ao conseguir, através de um amigo, um emprego como vendedor de livros na Abril Cultural, onde permaneceu por mais de cinco anos chegando a ocupar o cargo de gerente adjunto na área de vendas da empresa.

No ano de 1979 Fernando ganhou o primeiro lugar no concurso promovido por Chacrinha na TV Bandeirantes que escolheu o melhor intérprete de Roberto Carlos. “Nesta parte da minha autobiografia que conto um dos meus grandes equívocos na vida. Quando ganhei esse prêmio pensei que já era um artista completo. Mas, eu não tinha um estilo definido e por isso não era respeitado. Somente três ou quatro anos depois que percebi que o meu caminho era a música brega”, lembra o cantor e compositor.

Em 1981, de volta a Natal, decidiu retomar suas atividades artísticas e com o apoio do então Deputado Estadual Osvaldo Garcia, gravou seu segundo compacto simples, desta vez pelo selo Jangada, da gravadora Odeon. Apesar do relativo sucesso do disco nos estados do Rio Grande do Norte, da Paraíba e de Pernambuco, (o compacto vendeu 1.680 cópias), Fernando só ficaria conhecido no ano de 1984, ao gravar seu primeiro LP pela Gravason, de Belém do Pará. O disco alcançou grande sucesso de vendas e a música “Garotinha” foi um dos maiores sucessos do norte e nordeste, o que tornou Fernando Luiz um dos artistas mais populares da região.

  VIDA DE ARTISTA
Um relato sincero e emocionante
fotografia: Canindé Soares

“Como disse anteriormente a minha vida é repleta de altos e baixos. Em 1991 quando me divorciei e por coincidência no mesmo período terminou o contrato com a gravadora e o estilo musical brega estava em declínio por conta do surgimento “forró de Fortaleza”. Naquela ocasião, longe dos filhos e sem dinheiro cheguei ao fundo do poço. Foi quando tive que me reinventar. Toda esta experiência de sofrimento e de aprendizado eu coloquei neste registro”, disse.

“Vida de artista” é um relato sincero e emocionante onde Fernando Luiz conta passagens nunca antes dita em público, como: “Depois de todos os meus insucessos, onde cheguei ao ponto onde não ter onde morar eu conto no livro um encontro que tive com Deus que mudou toda a minha maneira de ser e de ver a vida. Outra coisa que conto detalhadamente é que no inicio da minha carreira eu tinha verdadeiro horror a musica brega. Eu gostava de cantar música internacional.”

Fernando gravou 15 discos: 02 Compactos simples, 07 LP’s e 06 cd’s, incluindo a coletânea “As Melhores de Fernando Luiz “ lançado pela gravadora Atração e o CD Canções Fraternas, com tiragem limitada, contendo composições inéditas ë versões inspiradas em passagens do Novo Testamento.

Fernando Luiz divide seu tempo entre seus shows e a coordenação de vários projetos artísticos e culturais: o Show de Talentos, Show das Comunidades e Projeto Futuro Feliz (ANDAR) e o programa de TV Talento Potiguar. “E, neste ano, ainda pretendo lançar em julho o CD “Recordações” e - em agosto -  gravar outro DVD e começar uma luta em prol da classe artista para que os gestores públicos os respeitem começando por efetuar o pagamento dos cachês em dia”.


...fonte...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fiz uma visita e gostei!! Passa lá você também!!!