agosto 23, 2012

OS GIGANTES DA CULTURA POPULAR

 GUARACI GABRIEL
O artista visual conta com trabalho catalogado até no Guiness Book
Países como Cuba, França e Áustria já conhecem o seu trabalho
São quatro bienais internacionais no currículo do Potiguar   
 
 GIGANTES DA CULTURA POPULAR  
 
Por
Sérgio Vilar
  
Uma nova paisagem artística já foi vista hoje por alguns natalenses. Três instalações de dez metros de altura foram montadas nas proximidades do viaduto do quarto centenário, entre a governadoria e o futuro complexo Arena das Dunas. As obras confeccionadas pelo artista plástico Guaraci Gabriel serão permanentes e farão parte do cotidiano urbano e estético de Natal. Mais duas instalações serão montadas no sábado. E outras cinco estão previstas ainda para este ano.

As instalações são feitas de ferro e aço inoxidável. As três primeiras já montadas ontem, no Dia do Folclore, retratam a brincadeira do Boi Bumbá: o boi, o jaraguá - uma das figuras mais fantásticas do folguedo - e o mestre Manoel Marinheiro no comando do evento. E neste sábado o natalense ou turista encontrará na entrada da cidade, próximo ao viaduto de Ponta Negra, a instalação de um casal dançando com vestes da Araruna. É o folclorista Deífilo Gurgel e sua mulher, Zoraide.

A Araruna é a única dança folclórica genuinamente potiguar. Foi criada pelo mestre Cornélio Campina em 1956 sob o pomposo nome de Sociedade Araruna de Danças Antigas e Semidesaparecidas. Mestre Cornélio faleceu em agosto de 2008, prestes a completar 100 anos. E pouco se viu de continuidade das atividades do grupo desde então. Deífilo Gurgel foi um estudioso deste folguedo e até aparece em alguns videodocumentários sobre o Araruna.

Guaraci Gabriel esperou seis anos para montar essas instalações. O preço do material e o processo de montagem dependiam de patrocínio. O governo do estado - com o aval da Fundação José Augusto - financiou tudo em parceria com duas empresas: a Patrício Metais e a Laminort. Foram R$ 120 mil investidos nas cinco instalações. Agora, Guaraci depende de mais dinheiro para concluir as outras cinco, já pré elaboradas. 

  GUARACI GABRIEL
 Instalação montada  na Patrício's Metais, Bairro Nordeste, Natal/RN
Fotografia: Dilma Azevedo/DN/Divulgação  
 
DEZ INSTALAÇÕES ATÉ A COPA DE 2014
 
Entre as outras cinco estão as figuras de Câmara Cascudo, do mamulengueiro Chico Daniel, do coquista Chico Antônio, o futebolista Marinho Chagas e de figuras lendárias do município de Extremoz. Todas elas elaboradas sob o mesmo material, em ferro e aço. E também calcadas na arte do grafite. "Desenvolvi o desenho no papel e depois no espaço do ferro. A metodologia é a do stencil (técnica que usa uma placa como molde para a figura), sendo que em vez do branco da parede, há o vazio; é uma figura vazada. É como se eu estivesse grafitando o ar".

O critério de escolha dos personagens obedeceu as lembranças infantis e raízes culturais do artista, além de algumas recomendações do exterior. "Fui aprovado pela curadoria da Bienal de Havana (em Cuba) por cinco vezes. Na última vez a curadora me pediu um portfólio, que não tinha e já haviam reclamado essa falta. E sugeriu também obras relacionadas às minhas raízes culturais. Então pensei no Bumba-meu-boi que eu via quando criança, o jaraguá, e o mestre Manoel Marinheiro".

A intenção de Guaraci é montar essas dez instalações até a Copa do Mundo. De preferência ainda este ano, conforme a captação de patrocínio. "É um sonho meu. Tenho cinco instalações montadas em Mossoró, também em Havana e até na Patagônia, mas nenhuma em Natal". Até então muitos já presenciaram intervenções urbanas e instalações temporárias do artista pelas ruas da cidade ou em Bienais e Salões de Artes Visuais.
 
GUARACI GABRIEL
Premiado no Salão Abraham Palatnik, o artista conta com
 instalações montadas em Havana e até na Patagônia 
 Fotografia: Vlademir Alexandre

ARTISTA AINDA CONTEMPORÂNEO

Guaraci Gabriel construiu seu nome nas artes potiguares desde a década de 1980, quando participou do pioneiro grupo Oxente, junto com Civone Medeiros, Sayonara Pinheiro e Cícero Cunha. Eles misturavam a ainda novidade da arte da performance com instalações e intervenções urbanas. Chegaram a participar de bienais em São Paulo e influenciaram gerações. Civone se voltou à performance. Sayonara, à crítica das artes. E Guaraci seguiu na produção de instalações. "Acredito que hoje as instalações, tal qual a pintura, não passam mais a mesma mensagem e beleza artística de antes. Já não é tendência. São artes muito estáticas para a velocidade do mundo moderno. Então, acho que a performance está mais inserida na linguagem de arte contemporânea; está mais próxima dos anseios artísticos do mundo". 
  
O trabalho mais recente de Guaraci Gabriel são duas esculturas de aproximadamente três metros de altura, expostas na Pinacoteca Potiguar. Ele foi um dos 30 artistas selecionados no edital do 2º Salão Nordeste de Arte Visual Chico Santeiro, inserido na programação do Agosto da Alegria 2012 - É Festa para Deífilo. Essas esculturas e os outros trabalhos selecionados estão abertos à visitação na Pinacoteca. Uma mostra das instalações montadas no Viaduto pode ser conferida também na Pinacoteca, onde figuram as cabeças de Deífilo Gurgel, Chico Antônio e Câmara Cascudo. 

Um comentário:

  1. Guaraci é um ótimo artista, uma figura ! tiro chapeu...parabéns.

    ResponderExcluir

Fiz uma visita e gostei!! Passa lá você também!!!