fevereiro 08, 2013

O SAUDOSO CARNAVAL DO MESTRE LUCARINO

   MESTRE LUCARINO
Um extraordinário compositor, sempre foi interessado em 
levar para a avenida sambas-enredo que falassem 
das coisas de Natal e do Rio Grande do Norte.
 Porém, ainda não teve o reconhecimento devido!
Fotografia: Acervo Particular   

 O CARNAVAL DE LUCARINO
 ATRAVÉS DO ACERVO DE DONA DORINHA DO BALANÇO DO MORRO   

Por
Assessoria de comunicação    

Paralelo a um dos períodos mais festivos do Brasil e, com ele, a mais espontânea manifestação da cultura popular brasileira - o carnaval,  a Secretaria Extraordinária de Cultura e Fundação José Augusto iniciam as atividades do projeto Privado é Público 2013 homenageando “O Carnaval de Lucarino - Acervo de Dona Dorinha do Balanço do Morro”, que conta uma parte da história de uma das maiores escolas de samba do RN, de seu icônico mestre Lucarino e do apogeu do carnaval de rua potiguar na década de 60 e 70.      

Com curadoria de Wecsley Mariano, a mostra reúne registros da vida e obra de Lucarino Roberto de Sousa, popularmente conhecido como Mestre Lucarino, fundador, em 1966, do Grêmio Recreativo Escola de Samba Balanço do Morro. O lançamento da exposição ocorreu às vésperas do Carnaval, no último dia 06, na Galeria Newton Navarro, sede da Fundação José Augusto, em Natal/RN,  e a mostra  ficará aberta para visitação até o dia 01 de março, de segunda à sexta, das 8h às 17h. Entrada gratuita.     

Considerado o grande pai dos foliões do bairro das Rocas, devido ao seu envolvimento pessoal com seus foliões - tirando-os das drogas e de problemas familiares -, Lucarino movimentou as noites de serestas por todo o estado do Rio Grande do Norte e foi um exímio compositor de sambas-enredo não apenas para a sua Balanço do Morro, mas para quem o procurasse com a missão de encher de música e história a avenida.       
 
  BALANÇO DO MORRO
Quatro décadas de puro encanto e uma missão:
Encher de música e história a avenida
  Fotografia: Adriano Abreu/TN

 BALANÇO DO MORRO

Fundador do G.R.E.S Balanço do Morro no ano de 1966, Lucarino Roberto de Sousa, popularmente conhecido como Mestre Lucarino, conseguiu colocar no podium o carnaval de Natal como o  terceiro carnaval de rua do Brasil, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro e Olinda. 

A Escola de Samba Balanço do Morro surgiu de uma briga. Mestre Lucarino, componente da escola Malandros do Samba, indispõe-se com os outros integrantes e resolve se desvincular.  Faltando apenas 45 dias para o carnaval, no dia seis de janeiro de 1966, reuniu alguns amigos e fundou a Balanço, que já na estreia revelou-se a grande campeã. 

Com Balanço do Morro, Lucarino estabeleceu um clima de rivalidade sadia com sua antiga escola de samba. Como as duas se localizavam no tradicional bairro das Rocas, e ainda se localizam, a disputa das duas grandes estruturas carnavalescas de Natal transcendia os limites da comunidade e tomava conta da capital e de vários outros municípios do Rio Grande do Norte.

 CARNAVAL DE RUA DE NATAL
 Já foi reconhecido como terceiro carnaval de rua do Brasil
Apogeu vivido nas décadas de 60 e 70
Fotografia: João Maria Alves
  
Lucarino Roberto soube, como ninguém, juntar dentro do contexto carnavalesco a valorização da cultura e da história de Natal, e a criatividade e competitividade de uma escola de samba criada para buscar o sucesso. Comandou, ao lado de seu principal concorrente, "Mestre Melé", do "Malandros no Samba", o carnaval de Natal em seu apogeu, vivido nas décadas de 60 e 70.

Com o intuito de celebrar a importância do legado de Lucarino Roberto, através do acervo de Dona Dorinha do Balanço do Morro, o projeto Privado é Público traz para o mês do carnaval uma singela homenagem ao Mestre Lucarino, uma exposição sob a curadoria de Wecsley Mariano. O sambista faleceu em 1994, mas teve tempo suficiente para participar da melhor fase das escolas de samba em Natal, o que, na opinião de Veni, produtor cultural, aconteceu no início dos anos 90. "Nesta época só as Rocas tinha 15 escolas de samba", lembra o produtor. 

Um extraordinário compositor, Lucarino sempre foi interessado em levar para a avenida sambas-enredo que falassem das coisas de Natal e do Rio Grande do Norte.  Nome de rua, no bairro das Rocas, Mestre Lucarino ainda não teve o reconhecimento devido. Sua obra encontra-se dispersa, mesmo com algumas gravações recentes.


Se copiar textos e ou fotografias, atribua os créditos! 
Os direitos autorais são protegidos pela Lei n° 9.610/98, violá-los é crime!

Um comentário:

  1. Francisco Alves Ferreira7 de março de 2017 13:28

    Mestre Lucarino foi meu colegano Grupo Escolar Izabel Gondin, tive a honra de ser seu vizinho no período de adolescência/adulto e uma sugestão dele mudou o rumo,para melhor,de minha vida profissional e pessoal. Sou-lhe eternamente grato.!Francisco Alves Ferreira. Psicólogo

    ResponderExcluir

Fiz uma visita e gostei!! Passa lá você também!!!